Facebook JF Ermesinde
História de Ermesinde

Legenda1

Legenda2

Legenda2

Legenda2

Implantada na parte Noroeste do Concelho de Valongo e a meia dúzia de quilómetros da cidade do Porto, Ermesinde confronta a Norte com a freguesia de S. Pedro Fins (Maia), a Oeste com a freguesia de Aguas Santas (Maia), a Este com a freguesia de Valongo, a Nordeste com a freguesia de Alfena e a sul com a freguesia de Baguim do Monte (Gondomar).
Atravessada pelo rio Leça (que aqui se vai estirando preguiçosamente em tranquilo e espraiado curso), e abrangendo uma área de cerca sete quilómetros quadrados, esta cidade apresenta uma topografia pouco acidentada, com uma altitude média que ronda os noventa metros. O seu ponto mais elevado encontra-se no Lugar da Formiga (com cerca de 140 metros de altitude), ao passo que a cota mais baixa será atingida nos lugares da Cancela e da Travagem.
As poucas referências que existem, sobre o seu passado remoto, dizem-nos que, a antiga freguesia de S. Lourenço de Asmes, passou a ser oficialmente designada Ermesinde a partir da implantação da República (1910). Sabe-se que em 1911 a Junta da Paróquia de S. Lourenço de Asmes, como era então conhecida, presidida por Amadeu Vilar, requereu ao Governo Provisório que o nome oficial da povoação fosse Ermezinde.
D. Rodrigo da Cunha, no catalogo dos Bispos do Porto, editado em 1625, referindo-se às igrejas e Ermidas da Diocese diz: “ S. Lourenço de Asmes, capela de S. Silvestre, 145 habitantes”. O orago S. Lourenço é de origem remota, aparecendo Asmes por alterações toponímicas de carácter linguístico, de Azomes (1258), Azenes (1519) e Açomes (1706). De facto no Foral que D. Manuel I concedeu à Maia em 19 de Maio de 1519, referindo-se às freguesias do concelho aparece pela primeira vez o nome Azenes. Segundo um documento do Século XI, o convento de Águas Santas possuía 17 casais em S. Lourenço de Azomes e vila Gonçalo (Formiga). Nesta data já existiria não só o lugar de Azomes, mas também o de Ermezenda.
Nas inquirições de 1258 mandadas fazer por D. Afonso III, há uma referência a “ um indivíduo de Ermezenda que prestou esclarecimentos sobre baldios nas terras da Maia, para organizar os reguengos da Coroa nesta região”.
Etimologicamente o topónimo Ermezinde é de origem Germânica e significa “caminho íngreme”. Mas há ainda outra explicação para este nome. Pelo século IX, no ano de 890, aparece uma D. Ermezenda, filha de D. Gundezindo, donatário desta região e que fez ao demolido convento dos beneditinos de Rio Tinto, importantes doações. D. Ermezenda, pertencia ao convento das monjas de Rio Tinto e seria senhora das terras onde se encontra o lugar de Ermesinde, a dois quilómetros do lugar onde existiu o convento. O nome do lugar seria então Terras de D. Ermezenda, e começaria a povoar-se com os casais dessa senhora.

A construção das vias do caminho de ferro do Douro e do Minho em 1875, escolhendo uma zona praticamente despovoada, para bifurcação das duas linhas deu à estação o nome do núcleo mais importante da povoação que nesse tempo era o lugar de Ermesinde. Esta zona começou então a povoar-se, rapidamente, com o movimento da estação, tendo o nome de Ermesinde, começado a ser cada vez mais conhecido, ultrapassando o de S. Lourenço de Asmes, nome verdadeiro da freguesia.

É difícil determinar quando é que Ermezinde ou S. Lourenço de Asmes se constituiu em freguesia. No entanto todos os estudos apontam para que tenha sido depois do Concílio de Trento (1545-1563), altura em que se criaram os registos paroquiais.

Ermesinde foi elevada à categoria de Vila em 12 de Junho de 1938. Em 27 de Outubro de 1979, criou-se, o Bairro Administrativo de Ermesinde, cuja área de intervenção, definida pelo Executivo Camarário, e alargava também à Freguesia de Alfena. Em 13 de Julho de 1990, a Assembleia da República, por unanimidade, aprovou a passagem de Ermesinde a cidade.

Beneficiando de uma privilegiada localização, esta urbe sofreu nos últimos anos um crescimento e uma evolução notável, em que as intervenções do Programa Polis em muito ajudaram. Foram efectuadas melhorias consideráveis em cerca de 30 hectares de núcleo central da cidade, entre a Igreja Matriz e o antigo Edifício da Repartição de Ermesinde da Câmara Municipal de Valongo, passando pela área adjacente à Estação dos Caminho-de-ferro.

A principal motivação desta intervenção centrou-se numa forte aposta na valorização ambiental, tendo fomentado a criação e beneficiação de espaços públicos e a recuperação e construção de raiz de edifícios vitais para o desenvolvimento da cidade, conduzindo a uma área central mais ampla e convidativa.
Deste modo, perspectivou-se para a cidade e seus habitantes uma melhoria significativa da qualidade de vida.

Acessibilidades
Ao nível das acessibilidades, Ermesinde pela sua privilegiada localização, beneficia em muito por estar perto dos principais eixos viários da região.
A A4, que tem aqui as respectivas portagens, a A3 e A1 que passa a curta distancia, a A41 que liga ao Vale de Sousa e as estradas nacionais e municipais que serpenteiam pela cidade, são disso o melhor exemplo.
Muito importante também ao nível dos acessos é a linha de Caminho-de-Ferro do Minho, que aqui tem uma importante estação e o Aeroporto Francisco Sá Carneiro que se encontra relativamente perto, no vizinho Concelho da Maia.